Organização do Encontro

quarta-feira, 21 de Novembro de 2012

As Notícias em Livro

Acompanhem as notícias posteriores à realização do 1º Encontro.
Este blogue será actualizado nas próximas semanas.
Colocaremos as fotos tiradas durante o dia; da sessão abertura, dos posters apresentados,
das prelecções, dos moderadores, dos prelectores, dos convidados,
do convívio, do júri de avaliação, da sessão encerramento,
de toda a actividade do Encontro.
Da compilação das fotos, entrevistas, etc, será publicado um livro,
 sim...um livro virtual
para recordar mais tarde e ficar registo

NOTA; o livro está pronto!
vejam na barra lateral
cliquem e podem ler



  As mudanças das políticas de saúde e as preocupações com a optimização dos recursos humanos (as pessoas, como preferencialmente devem ser a designação) e dos recursos materiais, têm vindo a conduzir a um novo posicionamento das equipas multidisciplinares na sociedade em geral e nas organizações de saúde, em particular.


Este Encontro visa a partilha de experiências, de resultados e opiniões em assuntos que versam as estratégias e mudanças nas unidades e nos profissionais que exercem funções em Unidades de  Cuidados Continuados, particularmente na região do Alentejo.

Programa 1º Encontro



1º Encontro 2012

Vai realizar-se no dia 23 de Novembro, o 1º Encontro de Unidades Cuidados Continuados do Alentejo, no  Teatro Bernardim Ribeiro em Estremoz, com abertura do secretariado às 8h30m.

Já temos 125 inscrições e muitos convidados já confirmaram a sua presença.

Na Sessão de Abertura temos a honra da presença dos seguintes Representantes:
Unidade de Missão - Dra Ana Girão 
ARSAlentejo - Dra Paula Marques 
Equipa ECR-CCI Alentejo - Dra Isabel Mendonça
Câmara Municipal de Estremoz - Dr Francisco Ramos 
Delegação CVP Estremoz - Dr Luis Rosado 
UCC/Clínica CVP Estremoz - Dr Abel Barbosa

Inscrições e informações dirigidas a:

1º Encontro de UCCAlentejo
jccestremoz@gmail.com


A importância do Plano Integrado de Actividades



“A Importância de um Plano Integrado de Atividades”

A Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados, criada pela parceria entre os Ministérios da Solidariedade Social e da Saúde, é uma resposta de cuidados globais a todas as pessoas que, independentemente da sua idade, se encontrem em situação de dependência.
As Unidades de Média Duração e Reabilitação visam responder a necessidades transitórias, promovendo a reabilitação e a independência, em situação clinica aguda ou descompensação de um processo crónico.
Após o acolhimento na Unidade, o conhecimento das espectativas e necessidades da pessoa e familiares é realizada a avaliação pela equipa multidisciplinar e em reunião de equipa é discutido o caso e construído o Plano Individual de Intervenção.
Com base nos seguintes conhecimentos teóricos:
A identificação das expetativas e objetivos do individuo e da sua família/ ou cuidadores são partes importantes na qualidade dos serviços prestados.
A perda ou limitação na capacidade de se envolver em atividades resulta numa restrição na participação e promove maior dependência e diminuição da perceção de qualidade de vida.
O trabalho multidisciplinar possibilita o cuidado global, valorizando o ser humano multidimensional, que necessita de diferentes cuidados, tendo em conta a interação entre os fatores físicos, psicológicos e sociais.
Numa Equipa deve dar-se a mesma importância às competências relacionais, instrumentais e cognitivas.
O plano comum de atividades tem como objetivos:
Proporcionar oportunidades de socialização e envolvimento em ocupações significativas; maximizar e otimizar os tempos disponíveis; conhecimento integral do Utente por toda a equipa, humanizar a resposta de cuidados, partilhar conhecimentos entre os diferentes técnicos, permitir uma resposta mais eficiente e eficaz na realização dos cuidados.
A Equipa é constituída por: Animadora, Auxiliares, Enfermeiros, Fisioterapeutas, Médicos, Psicóloga, Técnica de Serviço Social, Terapeuta da Fala e Terapeuta Ocupacional.
As atividades realizadas são: as notícias e o mundo, atividade culinária, sessão de movimento, estimulação cognitiva, estimulação sensorial, cinema, passeio ao exterior, cuidados pessoais, expressão plástica, treino da colocação de voz e estimulação da comunicação.
Cada técnico com os seus conhecimentos teóricos e práticos e a sua competência profissional são uma complementaridade para chegar aos objetivos pretendidos, permitindo uma resposta mais eficiente e eficaz na realização dos cuidados, visando a promoção da qualidade de vida.
O Trabalho em Equipa é hoje uma exigência e um desafio para todos os profissionais. É uma experiência inovadora que afeta positivamente tanto a satisfação do Utente como a dos profissionais.


UCCMDR CVP Estremoz
Sónia Carona

1º ano funcionamento UCC Casével


Primeiro Ano de Funcionamento da UCC Casével

Casével é uma das cinco freguesias do concelho de Castro Verde e que dista do mesmo 10km. Em tempos foi sede de concelho, tendo recebido foral de D. Manuel I em 20 de Setembro de 1510.
Em termos demográficos, Casével apresenta uma população absoluta de 365 habitantes distribuídos por uma superfície de 33 km2, segundo dados do último censo, o que perfaz uma densidade populacional de 11 habitantes/km2.
Casével apresenta tendência de envelhecimento populacional pelo que tem riscos de alguma vulnerabilidade à exclusão social, situação que a Fundação Joaquim António Franco e seus Pais tem evitado ao longo dos 45 anos da sua existência.
A Fundação Joaquim António Franco e seus Pais é uma instituição particular de solidariedade social criada em 18/05/1961 para cumprimento de disposição testamentária de Joaquim António Franco. O seu objectivo social situa-se, pois, no apoio e protecção aos idosos, mediante a prestação de serviços a este grupo etário e prioritariamente na freguesia de Casével, conforme indicação estatutária.
Tendo em conta este principio, em 1995, a Fundação cumpriu mais dois dos seus objectivos sociais: a abertura do Centro de Dia e a implementação do serviço de Apoio Domiciliário. Em 2 de Maio de 2011 procedeu-se à abertura da Unidade de Cuidados Continuados Integrados (tipologia de Média Duração e Reabilitação) e do Lar de 3ª idade.
A UCC de Casével conta com uma equipa multidisciplinar com as seguintes áreas de intervenção:
-          Médica;
-          Enfermagem;
-          Fisioterapia;
-          Terapia Ocupacional;
-          Psicologia;
-          Terapia da Fala;
-          Assistente Social;
-          Dietista;
-          Assistentes operacionais;
-          Animação Sociocultural.
Tal como é do conhecimento geral e seguindo as orientações emanadas pela RNCCI, após a admissão do utente a equipa procede ao acolhimento multidisciplinar, onde é feito o levantamento das expectativas face ao internamento transmitidas pelo utente e cuidador. Posteriormente, é elaborado o Plano Individual de intervenção, o qual conta com o envolvimento dos cuidadores e utente. Posto isto, a equipa implementa o seu plano de intervenção. Durante este tempo de funcionamento, apesar de algumas dificuldades inerentes ao inicio de actividade, sentimo-nos gratificados pelos sucessos obtidos com os planos de intervenção da equipa multidisciplinar.
Seguem-se os depoimentos de utentes que fizeram questão de deixar o seu testemunho ( depoimentos em video).
Com vista a proporcionar alguns momentos de lazer e recreação aos nossos utentes e cuidadores, a Unidade realizou algumas actividades ao longo do seu tempo de funcionamento, entre as quais destacamos:
-          Arraial de Santos Populares;
-          São Martinho (com a participação dos alunos da Escola Primária de Casével);
-          Dia mundial da criança (comemorado com as crianças de Casével);
-          Comemoração dos Aniversários dos utentes;
-          Passeios rurais;
-          Visita à Barragem da Amieira (com intercâmbio com a UCC de Elvas);
-          Outras actividades lúdicas realizadas com os utentes.
Para apresentação deste trabalho consideramos pertinente uma exposição em formato de vídeo, testemunhando com imagens o trabalho realizado pela equipa da UCC de Casével durante o seu primeiro ano de funcionamento.

Escala de MIF e de Barthel


Jornadas de Cuidados Continuados de Estremoz

Título: A Escala de MIF e a Escala de Barthel como instrumentos de trabalho na avaliação da funcionalidade na Unidade de Convalescença do Hospital do Litoral Alentejano.
Autores:
Ana Carina Sabino Madeira da Silva, Enfermeira.
Patrícia Alexandra Rodrigues dos Santos, Terapeuta Ocupacional.
Preletora:
Carina Silva, Enfermeira, Unidade de Convalescença do Hospital do Litoral Alentejano

Resumo
A Unidade de Convalescença através da sua abordagem multidisciplinar, tem como finalidades a estabilização clínica e funcional do utente, através de uma avaliação e reabilitação integral da pessoa com perda transitória de autonomia potencialmente recuperável.
Deste modo, considera-se que a monitorização da funcionalidade dos utentes é fundamental para as boas práticas da unidade.
Tendo em conta esta necessidade, decidiu-se investigar mais sobre a Escala de MIF, um instrumento amplamente utilizado internacionalmente que permite avaliar a funcionalidade do utente, tendo em conta a atuação de diversas áreas de intervenção da equipa multidisciplinar (Enfermagem, Fisioterapia, Terapia Ocupacional e Terapia da Fala), comparando assim a sua sensibilidade com a Escala de Barthel.
Referências Bibliográficas
Hall, M., et al. - Functional measures after traumatic brain injury: Ceiling effects of FIM, FIM+FAM, DRS, and CIQ. (1996) In: The Journal of Head Trauma Rehabilitation. [Artigo Online] em http://psycnet.apa.org/psycinfo/1997-07168-001
Ravaud, et al. - Construct validity of the functional independence measure (FIM): questioning the unidimensionality of the scale and the “value” of fim scores. (2000) In: Scandinavian Journal of Rehabilitation Medicine. [Artigo Online] em http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/10230001